Universitários do Amazonas ampliam conhecimentos em visita à Embrapa

6 jun
image_pdfimage_print

Na semana do Meio Ambiente, a Embrapa Amazônia Ocidental recebeu estudantes de instituições públicas federais para compartilhar seus conhecimentos e colaborar para a formação dos futuros profissionais da área agrícola do estado do Amazonas. As visitas ocorreram nos campos experimentais de Manaus e Iranduba, AM.

Com a finalidade de conhecer os trabalhos de pesquisa desenvolvidos na Embrapa Amazônia Ocidental e ampliar as informações recebidas em sala de aula, cerca de 40 alunos do curso de Agronomia do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia (ICET), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Campus Itacoatiara, AM, visitaram a Unidade dias 3 e 4 de junho. A programação contou com palestras e visitas a laboratórios e ao viveiro central da Unidade.

Acompanhados pelos professores Santiago Linório Ramos e Arthur Cardoso, os estudantes do 6.º ao 8.º período das disciplinas de Fruticultura, Ecologia e Silvicultura tiveram a oportunidade de conhecer as instalações da instituição e trocar informações com pesquisadores e técnicos. Segundo o professor Santiago, o objetivo da visita à Embrapa foi de ampliar os conhecimentos adquiridos em sala de aula com exemplos práticos realizados pelos pesquisadores da Embrapa.

Recebidos no Auditório Caiaué os estudantes foram divididos em duas turmas. Uma parte assistiu às palestras “Manejo da cultura da bananeira”, realizada pela pesquisadora Mirza Pereira e “Doenças e pragas da cultura da bananeira”, pelo pesquisador Luadir Gasparotto; enquanto a outra turma visitou os laboratórios de Sementes, Dendê e Agroenergia e o viveiro central de mudas. Em todos os setores foram recebidos pelos pesquisadores responsáveis de cada área.

A pesquisadora Mirza falou sobre o passo a passo para a implantação de um bananal, que para ser produtivo precisa ser adotado certos critérios, tais como: escolha das mudas, preparo do solo, época de plantio, adubação e atualmente é recomendada a irrigação para ser usada nos meses mais quentes de julho a setembro. O pesquisador Luadir Gasparotto comentou sobre as principais pragas e doenças da banana.

Os estudantes também conheceram o Laboratório de Cultura de Tecidos e suas modernas instalações e no Laboratório de Sementes viram como é feita a superação de dormência do tucumã e da puerária, cujas sementes precisam receber tratamento para diminuir o tempo de germinação.

Enquanto na natureza o tucumã demora entre um a dois anos para germinar, com o processo feito em laboratório, usando apenas calor e frito, a semente demora em média quatro meses para germinar. Nas sementes de puerária, que é uma planta usada para cobertura do solo, é usada água quente sobre as sementes para a superação da dormência. A pesquisadora Lucinda Carneiro e o técnico Sebastião Sales explicaram mais detalhadamente esses processos durante a palestra “Coleta e manejo sementes florestais Amazônicas”.

Viram de perto o processo produtivo da semente de dendê que é realizado na sede da Embrapa, no km 29 da AM-10. O analista Rosildo Simplício, também mostrou as instalações do laboratório que neste ano vai produzir 400 mil sementes do dendê Tenera e em 2020 tem uma encomenda de 750 mil sementes pré-germinadas. As sementes são produzidas no Campo Experimental do Rio Urubu, em Rio Preto da Eva, AM.

No viveiro de mudas da Embrapa, os estudantes conheceram a respeito das instalações do local, com o pesquisador Roberval Lima e os técnicos Orlando Ferreira e Argemiro Mota, que falaram sobre a produção de mudas florestais. Também visitaram o plantio de cupuaçu e assistiram à palestra da pesquisadora Aparecida Claret.

Agroecologia – O interesse pelas ações de pesquisas com agroecologia levou uma turma do curso de Agroecologia do Instituto Federal de Educação (Ifam), ao campo experimental do Caldeirão, localizado no município de Iranduba, AM, onde a Embrapa realiza pesquisa com mandioca, frutas, guaraná, grãos, hortaliças e seleção de espécies florestais. A visita foi conduzida pelo pesquisador José Nestor de Paula Lourenço, que no dia seguinte ministrou a palestra Adubação orgânica, aos alunos da Ufam de Itacoatiara.

Clique aqui para mais informações.

Fonte: Embrapa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *