Histórico

A interiorização da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) no município de Itacoatiara começou a dar seus primeiros passos no ano de 1991, com a instalação do Campus Avançado de Itacoatiara, que desenvolvia capacitação dos professores da rede pública de ensino por meio de contratos e convênios entre a Universidade, a Prefeitura Municipal e o Governo do Estado. Devido à ausência de prédio próprio o Campus Avançado utilizava-se da infraestrutura de prédios públicos locais, este modelo perdurou durante anos e formou várias turmas dos cursos de Pedagogia, Geografia, História, Ciências Naturais, Matemática, Letras, Ciências Biológicas e Administração.

O Campus Universitário Moysés Benarrós Israel foi criado em 25 de novembro de 2005, por meio da Resolução N°. 021 do Conselho Universitário (CONSUNI), para atender a demanda de ensino superior dos municípios de Autazes, Itapiranga, Nova Olinda do Norte, Rio Preto da Eva, São Sebastião do Uatumã, Silves, Urucará, Urucurituba e a sede Itacoatiara.

No ano de 2006, com a Resolução N°. 24 do CONSUNI, foi criada a Unidade Acadêmica Permanente de Itacoatiara, para atuar nas áreas de ciências exatas e tecnologia, inicialmente com seis cursos: os Bacharelado em Engenharia de Produção, Química Industrial, Ciências Farmacêuticas, Sistemas de Informações e as Licenciaturas duplas em Ciências: Matemática e Física e Ciências: Química e Biologia.

Já em 2007, a Unidade Acadêmica Permanente de Itacoatiara passa a chamar-se Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia (ICET), criado no âmbito do Programa de Expansão do Sistema Público Federal de Educação Superior tem como objetivos formar cidadãos qualificados e gerar conhecimento científico e tecnológico nas áreas prioritárias de tecnologia, educação e saúde, contribuindo para o desenvolvimento do interior do estado.

Inicialmente a estrutura do ICET compunha-se de uma área construída de aproximadamente 648 m2 localizada em terreno urbano de 18.145,62 m2 que foi doado pelo empresário Moysés Israel, situado na Rua Nossa Senhora do Rosário, 3863 no bairro de Tiradentes, nela estavam distribuídas quatro salas de aula, biblioteca, laboratório de informática, dois banheiros e uma secretaria/diretoria que atendia a demanda de 300 alunos matriculados nos 6 cursos já citados.

No ano de 2009, foram construídos mais 4 prédios compondo a estrutura atual do Instituto. Hoje a área construída perfaz aproximadamente 10.807 m2, divididos em um prédio de 3.162 m2, que abriga 25 salas de aula, auditório com 210 lugares, sala de reprografia, cantina e área de convivência; um prédio de 3.162 m2 que abriga laboratórios de farmácia, química, biologia, física, matemática, informática, e ensino de ciências; um prédio de 2.687 m2, que abriga uma biblioteca com cerca de 13.000 volumes e salão de leitura, ala administrativa destinada à coordenação acadêmica, às coordenações de curso e salas de professores; um prédio de 1.148 m2 que exclusivamente abriga laboratórios de engenharias, além do prédio antigo destinado à direção, coordenação administrativa, protocolo, almoxarifado e apoio à comunidade acadêmica.

Em 2010, foi aprovada a criação do curso de Engenharia de Software destinado a fornecer mão-de-obra qualificada para o desenvolvimento de eletrodomésticos, equipamentos eletrônicos, computadores, telefones celulares e outros.

No ano de 2012 iniciaram os cursos de graduação em Engenharia Sanitária e Agronomia e o Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia para Recursos Amazônicos, em nível de mestrado e de caráter multidisciplinar, com ênfase nas áreas de bioenergia e manejo de recursos amazônicos, prospecção química, biológica e desenvolvimento de substâncias bioativas e estudos teóricos e computacionais em física e/ou química.

Ainda em 2012, a Prefeitura Municipal de Itacoatiara doou um terreno com área de 40 hectares, dentro do qual a unidade deseja projetar a consolidação e expansão da Universidade Federal do Amazonas no município de Itacoatiara, com a criação de novos cursos de graduação e pós-graduação com infraestrutura educacional.